Casamentos Caxias do Sul

Um casamento quase simples e nada tradicional

"Ah, home, let me go homeHome is wherever I'm with you"

Home, de Edward Sharpe and the Magnetic Zeros - música de entrada dos noivos

 

Esse não é um casamento tradicional. 

 

Na nossa primeira reunião, quando fechamos o contrato, eu, a Marina e o Guilherme tomamos um café e conversamos por quase uma hora. Papo bom, sabe? Divertido, como se já nos conhecêssemos, em que trocamos ideias sobre como enxergar a vida e o que realmente importa. 


Ficou claro que os noivo gostam das coisas simples e valorizam mais a sua verdade do que o que as pessoas pensam (e como é bom que sejam assim!). Seria, portanto, um casamento com o jeitinho deles.


A primeira quebra de padrão já veio de cara: "não usamos - e nem trocaremos - alianças no casamento. O motivo: achamos que elas representam algum tipo de posse, o que não combina com o nosso estilo". Que legal encontrar um ponto de vista diferente sobre algo tão estabelecido, né? Gostei e fiquei instigado a saber mais. Quer outra? "Até podemos nos arrumar em quartos separados, mas vamos nos ver antes do casamento e entraremos juntos na cerimônia". 


Senti uma admiração por priorizarem o que acreditam e uma vontade imensa de contar essa história, dessa união de cerca de dez anos que seria celebrada no momento certo, porque cada família tem seu tempo. Um ponto importante, deixaram claro, seria encontrar um fotógrafo que não ficasse pedindo para posar ou incomodando - segundo o Gui, eles formam o casal avesso à pose. Isso não seria problema. 

 

A festa foi, na verdade, um casamento no civil com festa em um casarão gramado da família da Marina, em Caxias do Sul. Com três tendas, bar de coquetéis e uma decoração linda organizada pelo Vandro Santi, o lugar ficou com cara de casa de eventos. Muito mais do que os noivos esperaram. 


Voltando no tempo para nossa primeira reunião, a expressão mais repetida foi "coisa simples". "Vai ser coisa simples. Tudo nós que vamos fazer. É só uma festa de fim de tarde, coisa simples. Vamos só estar com os amigos, coisa simples". 


E foi simples sem ser pouco. Foi simples por ser centrada no que e em quem importa, por ser leve, por ser completa sem esforço, por ser agradável. Foi simples porque não foi complexo, porque são vocês. Mas não se enganem, não foi pequena nem fria, foi coisa simples como todo mundo sonha que seja a vida.

 

Com vocês, o casamento de Marina e Guilherme.



Ficha técnica:

Noivos: Marina Bortoluzzi e Guilherme Mondadori Comim

Fotografia: Diogo Sallaberry e Tatiele Kerstner 

Assistente: Juceli Sallaberry

Locação: Casa da família da noiva em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil

Decoração e cerimonial: Vandro Santi 

Cabelo e maquiagem: Estúdio JH 

Vestido: costureira Diva 

Buquê: Zaffari 

Iluminação e som: Sólus Tecnologia para Eventos

Doces e salgados: Le Fue Gastronomia

Convites e impressões: Golden Gráfica 

Tendas: Expotendas